São Carlos amanhece sem transporte público e passageiros têm que improvisar

0

Motoristas da Suzantur decidiram interromper serviço após prefeitura anunciar intervenção na empresa.


Por Bom Dia Cidade

São Carlos amanhece sem ônibus no transporte coletivo

São Carlos amanhece sem ônibus no transporte coletivo

São Carlos (SP) amanheceu nesta quarta-feira (24) sem ônibus, uma dificuldade para mais de 170 mil pessoas que dependem do transporte coletivo na cidade. Uma assembleia marcada para as 9h vai definir a situação.

Desde a tarde de terça-feira (23), quando os motoristas interromperam o serviço após a prefeitura anunciar a intervenção na empresa de transporte, usuários do transporte urbano buscavam alternativas para voltar para casa.

Passageiro disse que andaria 3km até o trabalho (Foto: Reprodução/EPTV)Passageiro disse que andaria 3km até o trabalho (Foto: Reprodução/EPTV)

Na manhã desta quarta-feira, a reportagem da EPTV, afiliada da TV Globo, encontrou alguns passageiros em um dos pontos da Avenida São Carlos, a principal da cidade, mas nenhum ônibus circulou pelo local.

Um dos passageiros contou que teria que andar cerca de 3 km de casa até o trabalho. Uma outra usuária do transporte disse que pegou carona até o Centro, mas que continuaria o trajeto a pé.

Alguns motoristas de vans escolares prestavam serviço particular aos passageiros. Um deles, abordado pela reportagem, cobrava R$ 3,50, mesmo valor do ônibus. “Hoje vai ser o dia todo, a prefeitura liberou a gente para fazer esse transporte, estou dando uma força para o cidadão sãocarlenese”, disse.

Motorista de van abordado pela reportagem no Centro (Foto: Reprodução/EPTV)Motorista de van abordado pela reportagem no Centro (Foto: Reprodução/EPTV)

Motorista de van abordado pela reportagem no Centro (Foto: Reprodução/EPTV)

Paralisação

Os motoristas da Suzantur, empresa que opera na cidade desde agosto de 2016, pararam de trabalhar e levaram os ônibus para a garagem, no Distrito Industrial.

Segundo o sindicato, todos os 460 funcionários estão paralisados e querem garantias trabalhistas. A empresa, no entanto, diz que isso ocorreu após uma decisão do sindicato da categoria.

Durante a noite, a prefeitura fez a proposta de pagar salários e rescisões trabalhistas dos funcionários. Uma assembleia vai decidir a questão e a volta ao trabalho nesta quarta.

Transporte indefinido

A Prefeitura publicou um decreto no Diário Oficial na terça-feira no qual reconhece situação de emergência e assume o transporte público da cidade e a empresa Suzantur, até então responsável pelo serviço.

O texto polêmico assinado pelo prefeito determina que a administração assuma a operação “e consequentemente a empresa com todo seu ativo, veículos e equipamentos para fins de dar continuidade ao serviço”.

A Suzantur começou a operar na cidade emergencialmente em agosto de 2016. O contrato foi considerado irregular e a empresa está sem contrato há 1 ano, deixando de receber um subsídio de R$ 797 mil por determinação da Justiça.

Alegando não ter condições de operar sem a verba, anunciou que encerraria atividades nesta sexta-feira (26). A prefeitura só publicou o edital para a contratação de uma definitiva no dia 18 e o início pode levar até 5 meses.

Suzantur se posiciona

A concessionária afirmou que o corpo jurídico interno analisa o teor do decreto. Em nota no início da tarde, a empresa informou que, ‘dentro da legalidade’, recebeu em sua sede a equipe de intervenção da prefeitura. Segundo o sindicato, todos os funcionários estão paralisados e querem garantias trabalhistas. A empresa, no entanto, diz que isso ocorreu após uma decisão do sindicato da categoria.

Share.

About Author

Leave A Reply