Ministério da Saúde reduz distribuição da vacina Meningocócica C

0

 

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Epidemiológica, informa que está recebendo uma quantidade menor da vacina Meningocócica C. Das 1.500 doses solicitadas, o município recebeu somente 150 doses para ser distribuídas nas 34 salas de vacinas do município.

A justificativa por parte do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, que coordena as ações de imunizações em todo país, é de que somente existe um estoque estratégico para atendimento a demandas emergenciais, como na ocorrência de surtos, por isso foi distribuído 36% da cota mensal estadual. A redução é devido a atrasos nas entregas pelo laboratório produtor. Já a vacina contra a Poliomielite Oral e a Vacina da Varicela foram distribuídas em quantitativo normal e estão sendo enviadas a todas as unidades de saúde.

O PNI oferece, no Calendário Nacional de Vacinação, todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde, além de imunobiológicos especiais, para grupos em situação de maior risco. Mudanças no processo produtivo de vários imunobiológicos, aumento da demanda nacional e internacional e consequentemente problemas na capacidade produtiva dos laboratórios, além dos trâmites alfandegários das entregas internacionais, são fatores que o Ministério da Saúde atribui para a situação de desabastecimento de vacinas e soros nos últimos anos.

Os soros antivenenos também foram distribuídos conforme análise criteriosa realizada pela Unidade Técnica de Vigilância de Zoonoses do Ministério da Saúde considerando a situação epidemiológica dos acidentes por animais peçonhentos, as ampolas utilizadas em cada Unidade Federada, bem como os estoques nacional e estaduais de imunobiológicos disponíveis e, também, o cronograma de entregas a serem realizadas pelos laboratórios produtores. A produção tem sido realizada de forma parcial, devido à suspensão da produção da Funed para cumprir as normas definidas por meio das Boas Práticas de Fabricação (BPF) exigidas pela Anvisa. Além disso, no último mês de junho os laboratórios IVB e Butantan solicitaram reprogramação dos cronogramas de entregas previstos nos contratos vigentes, o que, também, impacta na distribuição.

No Brasil a distribuição dos imunobiológicos segue o seguinte fluxo: Central de Armazenagem e Distribuição de Insumos Estratégicos (CENADI), localizada na no Rio de Janeiro, onde os produtos são armazenados e depois distribuídos aos Estados a partir do dia 10 de cada mês. O Estado de São Paulo encaminha ao Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE). O município de São Carlos, através da Vigilância Epidemiológica é responsável pela retirada dos imunobiológicos no GVE Araraquara e pelo controle e distribuição às salas de vacinas das unidades de saúde.

“Orientamos aos pais para que procurem as unidades de saúde se estiver na época do filho receber a dose da vacina Meningocócica C, se no dia não tiver o imunobiológico retorne no próximo mês. A nossa previsão de recebimento de novas doses é após 10 de agosto, porém ainda não sabemos a quantidade que vamos receber”, ressalta Kátia Spiller, chefe da Vigilância Epidemiológica de São Carlos.

De acordo com o secretário de Saúde de São Carlos, Marcos Palermo, não tem como o município adquirir a vacina em outros laboratórios, sendo necessário aguardar o repasse feito pelo Ministério da Saúde. “Vamos mantendo contato com o Ministério e assim que recebermos mais doses avisamos a população. Quem não conseguir tomar esse mês deve retornar no próximo, o importante é não deixar de vacinar os filhos. As 150 doses que recebemos agora já foram repassadas para as unidades de acordo com a demanda de cada uma”, explica o secretário.

O PNI disponibiliza pelo Sistema Único de Saúde (SUS) três doses da vacina Meningocócica C: aos três e cinco meses, com reforço aos 12 meses e para adolescentes de 12 e 13 anos.

Share.

About Author

Leave A Reply