JUSTIÇA ARQUIVA CASO DE ESTUDANTE DA UFSCAR ENCONTRADO MORTO APÓS FESTA

0

Dois anos e sete meses depois, família ainda espera por justiça.
Sérgio Gonçalves Lima foi achado em estrada de São Carlos (SP).

Do G1 São Carlos e Araquarara

O delegado Gilberto de Aquino, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) relatou que ouviu cerca de 100 pessoas e concluiu que a vítima, na época com 22 anos, provavelmente foi atropelada.

Segundo Aquino, o inquérito policial foi encaminhado ao Ministério Público (MP), que entendeu que a autoria do crime era desconhecida. O juiz arquivou o caso, mas ele pode ser reaberto.

Exame mostra que vítima estava alcoolizada  (Foto: Carol Malandrino/G1)
Resultado de exame comprovou que vítima estava
alcoolizada (Foto: Carol Malandrino/G1)

Justiça
Revoltada com o desfecho do caso, a dona de casa Sueli Gonçalves Lima, mãe de Panco, pediu justiça. “Soubemos que o caso foi arquivado e foi uma apunhalada novamente, mas com toda força acreditamos que a justiça existe e vamos lutar por ela sempre”, disse.

Para Sueli, o filho não foi atropelado. “Sergio Gonçalves Lima foi espancado, morreu vítima de espancamento e depois por falta de socorro, por alguém que poderia ter feito e não fez. Queremos encontrar quem bateu e cometeu o delito de espancar”, afirmou ela.

Falhas
A dona de casa ainda ressaltou que o caso pode ser reaberto, mas algumas falhas dificultam esse processo. “Essas provas que a Justiça coloca como ‘não encontradas’ foram omitidas por eles mesmos, porque as autoridades que atenderam se omitiram.  Existiram falhas, não foram dentro do salão saber quem era o Sérgio, por não existir ligação entre o fato com evento”, disse Sueli.

“Para nós, pais, essas pessoas não sabem o que fizeram. Tiraram a vida do nosso filho e a nossa. É uma dor imensurável, apenas quem passa sabe. Mas temos uma força de Deus que faz. Até parece uma luta solitária, mas estamos aqui”, desabafou.

Panco estudava na UFSCar e morreu em 23 de fevereiro de 2014 (Foto: Reprodução/Facebook)
Panco estudava na UFSCar e morreu em 23 de
fevereiro de 2014 (Foto: Reprodução/Facebook)

Atropelamento
O delegado explicou que as provas de testemunhas declarantes e convidadas do local onde ocorria uma festa de formatura, assim como os laudos da perícia, apontam eventual atropelamento, já que a vítima possuía ferimentos que mostram que pode ter ocorrido até mais de um atropelamento. “O jovem pode ter caído e sido atropelada por vários veículos”, disse.

De acordo com Aquino, Panco chegou ao local com 19 pessoas, participou da festa e bebeu exageradamente. “Essa circunstância fez com que a vítima ficasse na festa até o momento da valsa, quando existiu um tumulto com uma moça que namorava e foi necessário  acionar os seguranças, que apaziguaram a situação. Ele continuou no local com a presença dos amigos, foi ao espaço comer e resolveu beber pinga”, contou o delegado.

Segundo o inquérito policial, a vítima foi vista por algumas formandas da Universidade de Araraquara (Uniara) do lado de fora tentando uma carona ou um táxi, mas como não obteve sucesso, acabou caindo e voltou a caminhar.

O delegado explicou que não existem testemunhas que afirme que  Panco foi agredido. “Não teve nenhuma informação que os seguranças agrediram a vítima, ela foi caminhando de forma ilesa, não temos ninguém que tenha visto nem características do veículo, nem do condutor”, disse.

Caso foi arquivado São Carlos (Foto: Carol Malandrino/G1)Caso da morte do estudante foi arquivado por falta de provas no dia 10 de junho  (Foto: Carol Malandrino/G1)

Entenda o caso
Panco foi encontrado em uma via de terra próxima à alça de acesso que liga a Rodovia Washington Luís (SP-310) ao Jardim Embaré, em São Carlos. O corpo do jovem foi encontrado às 3h50 do dia 23 de fevereiro de 2014, após uma ligação ao 190 informando sobre um atropelamento.

O jovem estava a 300 metros do local de uma festa de formatura da qual participou no dia. Quando a polícia chegou ao Local, o Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) já estava presente, mas o rapaz já estava morto.

A perícia não detectou indícios de atropelamento, mas de uma possível agressão. O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exames. O caso foi registrado como morte suspeita.

Pais fazem mais um ato para cobrar a solução (Foto: Paulo Chiari/EPTV)
Pais fazem mais um ato para cobrar a solução do
caso do estudante (Foto: Paulo Chiari/EPTV)

Homenagens
Em fevereiro de 2014, 150 estudantes e moradores sãocarlenses fizeram uma passeata de protesto contra a violência, que contou com a participação dos pais do ex-aluno. Organizado pelas redes sociais, o evento teve momentos marcantes, como a leitura de um manifesto com frases que Panco gostava de utilizar.

Também no primeiro semestre do ano, o 2º Campeonato de Futsal da UFSCar teve como patrono Sérgio ‘Panco’ Lima. Pouco depois, já no segundo semestre, amigos do estudante criaram uma página no Facebook com o nome “Panco – Uma luz que nunca irá se apagar”. A página compartilha fotos do estudante e mensagens de apoio à família e aos amigos.

Pais e delegados em reunião nesta segunda-feira (Foto: Stefhanie Piovezan/G1)
Pais com delegados de São Carlos em busca de mais
informações sobre o caso (Foto: Stefhanie Piovezan/G1)

Investigações
Um dia após a morte, uma testemunha afirmou à Polícia Civil que houve omissão de socorro ao estudante. De acordo com a pedagoga Karla Bertacini, o rapaz estava vivo quando ela passou de carro e viu o jovem caído na estrada. Ela afirmou que uma ambulância da festa foi chamada, mas não socorreu o rapaz.

Testemunhas também disseram que Panco teria sido expulso da festa por um segurança após se envolver em uma discussão com um casal. No boletim de ocorrência, os seguranças informaram que o rapaz não estava no local por estar sem os trajes exigidos.

Dias depois, em depoimento, um taxista afirmou ter visto o jovem sair sozinho do evento e que ele teria chegado a pedir uma corrida, mas desistiu por conta do valor. Ele teria voltado a falar com os seguranças e ficou nas imediações do local.

O estudante universitário Panco morreu depois de participar de uma festa numa casa de shows - G1/EPTV

O estudante universitário Panco morreu depois de participar de uma festa numa casa de shows – G1/EPTV

Share.

About Author

Leave A Reply