EXCLUSIVO: Ulisses Sales é investigado pela PF por compra de votos e pode ter candidatura cassada

0

INVESTIGAÇÃO COMPROVOU O ESQUEMA CRIMINOSO QUE ERA COMANDADO ATRAVÉS DE UM GRUPO DE WHATSAPP

Marco Rogério

O candidato a Deputado Estadual pelo Partido Humanista da Solidariedade (PHS), Ulisses Roberto Cornazzani Sales, n° 31313, está sendo investigado pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) e pela Polícia Federal de Araraquara. Ele é suspeito de comprar votos em troca de vales combustíveis no valor de R$ 30. A candidatura de Sales poderá ser cassada e ele poderá ser preso caso seja condenado no processo judicial a que responderá.

Para apurar o caso, agentes da PF estiveram em São Carlos nos últimos dias. O esquema criminoso era articulado através de um grupo de whatsapp. Os motoristas eram orientados a ir até à residência do ex-vereador Paulo Tau,  no bairro Tijuco Preto/Vila São José, colocar o adesivo de Ulisses Sales e depois ir ao posto de combustíveis Alto da XV, na rua 15 de Novembro, na região central para abastecer.

“A mensagem, conforme print que segue, teria sido postada pelo indivíduo vulgo “Nanao de Paula”, usuário do terminal n° 16 99178-5817, em grupo de Whatsapp de realmente estava ocorrendo no endereço mencionado na mensagem, dada a movimentação atípica de pessoas e veículos no local”, afirma trecho de nota conjunta do MPE e da PF.

A conduta configura crime eleitoral, previsto no artigo 299 da Lei 4.737/65 (Art. 299. Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita: Pena – reclusão até quatro anos e pagamento de cinco a quinze dias-multa.)       “Ainda ontem o Juiz da 121ª Zona Eleitoral concedeu autorização para que a Polícia Federal realizasse diligências e, se o caso, realizasse a prisão em flagrante no momento oportuno”, diz outro trecho do texto.

Em cerca de 4 horas de vigilância nesta sexta-feira, 5 de outubro, os agentes presenciaram vários condutores de  veículos afixando adesivo no endereço apontado (Rua Rafael de Senzi, 592), recebendo um pequeno papel e, munidos do “vale”, abastecendo no “Posto Alto da XV” (Rua XV de Novembro, 2572). Foi realizada a filmagem de pelo menos 3 veículos que colocaram o adesivo da campanha dos candidatos Ulisses Sales (Deputado Estadual) e Maurren Maggi (Senadora) e se dirigiram até o referido posto para receber a vantagem indevida.

Diante das evidências da prática de crimes eleitorais, na manhã deste sábado (06/10/2018), o Ministério Público Eleitoral requereu a concessão de ordem de busca e apreensão nos endereços (a) Rua Rafael de Senzi, 592, São Carlos/SP e (b) Rua XV de Novembro, 2572, São Carlos/SP, a fim de apreender documentos, objetos e quaisquer outros elementos de convicção relacionados à prática de crimes eleitorais, bem como a instauração de inquérito policial pela Polícia Federal.

 

Leia abaixo a Nota da PF na íntegra

 

NOTA À IMPRENSA – PROMOTORIA ELEITORAL E POLÍCIA FEDERAL

REALIZAM OPERAÇÃO CONTRA COMPRA DE VOTOS EM SÃO CARLOS

 

Na data de 04/10/18 chegou ao conhecimento do Promotor de Justiça da 121ª Zona Eleitoral (São Carlos/SP) que pessoas ligadas à campanha eleitoral do candidato a Deputado Estadual pelo Partido Humanista da Solidariedade (PHS), Ulisses Roberto Cornazzani Sales, n° 31313, estariam distribuindo vales combustível no valor de R$ 30,00 (trinta reais) a qualquer pessoa que colocasse em seu veículo adesivo da campanha do referido candidato. A mensagem, conforme print que segue, teria sido postada pelo indivíduo vulgo “Nanao de Paula”, usuário do terminal n° 16 99178-5817, em grupo de Whatsapp de realmente estava ocorrendo no endereço mencionado na mensagem, dada a movimentação atípica de pessoas e veículos no local.

  1. Considerando que referida conduta configura, em tese, crime previsto no artigo 299 da Lei 4.737/65 (Art. 299. Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita: Pena – reclusão até quatro anos e pagamento de cinco a quinze dias-multa.), ainda ontem o Juiz da 121ª Zona Eleitoral concedeu autorização para que a Polícia Federal realizasse diligências e, se o caso, realizasse a prisão em flagrante no momento oportuno.
  2. Durante a tarde da sexta-feira, a Polícia Federal, apesar de não ter realizado a prisão em flagrante, constatou a veracidade das informações recebidas. Em cerca de 4 horas de vigilância, os agentes presenciaram vários condutores de veículos afixando adesivo no endereço apontado (Rua Rafael de Senzi, 592), recebendo um pequeno papel e, munidos do “vale”, abastecendo no “Posto Alto da XV” (Rua XV de Novembro, 2572). Foi realizada a filmagem de pelo menos 3 veículos que colocaram o adesivo da campanha dos candidatos Ulisses Sales (Deputado Estadual) e Maurren Maggi (Senadora) e se dirigiram até o referido posto para receber a vantagem indevida.
  3. Diante das evidências da prática de crimes eleitorais, na manhã deste sábado (06/10/2018), o Ministério Público Eleitoral requereu a concessão de ordem de busca e apreensão nos endereços (a) Rua Rafael de Senzi, 592, São Carlos/SP e (b) Rua XV de Novembro, 2572, São Carlos/SP, a fim de apreender documentos, objetos e quaisquer outros elementos de convicção relacionados à prática de crimes eleitorais, bem como a instauração de inquérito policial pela Polícia Federal.
  4. A Polícia Federal, por meio de sua Delegacia em Araraquara/SP, deu cumprimento à ordem judicial na tarde deste sábado, apreendendo nos dois endereços farto material de prova. Na casa foram apreendidos os adesivos e os talões de vales. No posto, foram apreendidos mais vales e as respectivas notas de abastecimento.
  5. No domingo a Promotoria de Justiça Eleitoral e a Policia Federal estarão de plantão até o final da apuração e, se necessário, voltarão a atuar em conjunto para garantir a lisura das eleições e coibir esse tipo de conduta, absolutamente inaceitável em uma democracia e em tempos de histórico combate à corrupção.

 FLÁVIO OKAMOTO

Promotor de Justiça 121ª Zona Eleitoral

FERNANDO BATTAUS

Delegado de Polícia Federal DPF/Araraquara

 

 

Share.

About Author

Leave A Reply