Economia Solidária: Mais de 10 cidades participaram dos três dias da Plenária Estadual em São Carlos

0

 

São Carlos sediou de 17 a 19 de novembro, a etapa estadual da Plenária de Economia Solidária. A Plenária, com cronograma de atividades, aconteceu no auditório da Igreja Santo Expedito, no bairro Santa Felícia. O evento foi realizado pelo Fórum Paulista de Economia Solidária com apoio da Prefeitura de São Carlos e coordenação da Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego e Renda (SMTER), através do Departamento de Apoio a Economia Solidária (DAES).

Além de São Carlos, a Plenária recebeu como visitantes os municípios de Diadema, Guarulhos, Franco da Rocha, Campinas, Ribeirão Preto, Araraquara, Carapicuíba, Mauá, Osasco, Santos, São Paulo, Rio Claro e São Bernardo do Campo, representando movimentos sociais, gestores públicos, entidades de apoio e empreendimentos econômicos solidários, para debater sobre o tema “Quem Somos, onde estamos e onde queremos chegar”.

Entre os objetivos, promover, planejar e encaminhar ações visando o fortalecimento da Economia Solidária no Estado de São Paulo, que contribuam para a construção e desenvolvimento de ideias e ações, elaborar e aprovar coletivamente análise de conjuntura que possibilite entender a realidade atual, identificar as forças sociais, econômicas e políticas envolvidas no cenário e os mecanismos e estratégias de manutenção e mudanças, além de possibilitar acesso aos conhecimentos históricos e sociais relacionados a Economia Solidária.

Durante a Plenária de três dias foi feito a análise do Regimento Interno, ajustes, síntese e fechamento do Documento Base que já havia sido discutido nos fóruns municipais e regionais. Entre os eixos debatidos o entendimento da conjuntura atual de Economia Solidária, encaminhamento das proposituras locais, regionais, questões do Estado e Nacionais, encaminhamentos da Economia Solidária no Estado de São Paulo, relativos às questões da mulher, dos movimentos sociais, MST, Pastoral da Terra, Saúde Mental e como deve caminhar a Economia Solidária, encaminhamentos locais que cada município propôs como o Fórum Paulista pode ajudar esses municípios, regulamentação da Legislação Estadual (pertinência), organização do Conselho Estadual, fortalecimento, busca de apoio do Governo do Estado de São Paulo, Frente Parlamentar (reivindicação da regulamentação da Lei de Economia Solidária), e a ampliação do mapa, das ações e atuações da Economia Solidária no Estado de São Paulo com o fortalecimento dos Fóruns regionais e municipais.

Robson Grizilli da cidade de Guarulhos, representante do Fórum Brasileiro de Economia Solidária explica que a Plenária Nacional de Economia Solidária deve ser realizada no final de 2018 ou início de 2019. “Os encaminhamentos serão feitos para a Executiva do Fórum Brasileiro estão sendo propostas até mesmo na carta de princípios do Fórum Brasileiro. Para o Estado de São Paulo é a nossa organização, como vamos debruçar dentro da Executiva do Fórum, nas reuniões regulares e como será implementado os encaminhamentos da Plenária Estadual de São Carlos”, explicou. Grizilli.

Para o vice-presidente de Economia Solidária da Frente Nacional de Prefeitos e prefeito de Araraquara, Edinho Silva, a Plenária Estadual de Economia Solidária de São Carlos organizou os principais atores de Economia Solidária no Estado de São Paulo. “Os debates foram extremamente importantes, mesas de discussões com muito conteúdo e espero que possamos tirar um plano de trabalho e ações onde efetivamente a Economia Solidária se torne política pública estruturante, onde os municípios possam entendê-la como uma forma de colaborar estruturalmente na geração de empregos, distribuição de renda e na construção de bem estar social para toda a população”, disse Silva.

O prefeito Airton Garcia parabenizou as cidades participantes e disse “eu nasci, cresci e sou filho da Economia Solidária, ela me deu a oportunidade de ser prefeito de São Carlos, sou a prova viva de que ela existe e funciona”.

Adolfo Homma, representante do Fórum Paulista disse que a Plenária de São Carlos conseguiu conceituar aspectos que não estavam devidamente conceituados na Economia Solidária, com importância fundamental para possibilitar avanços. “Avançamos não só na questão conceitual como também na orgânica, abriu-se uma nova porta. Percebemos que precisamos priorizar o desenvolvimento econômico, para não ficar restrito ou concentrado na geração de trabalho e renda, precisamos transformar a sociedade para garantir avanços. Das Plenárias que eu participei essa foi a melhor organizada e por isso todo o evento foi um grande sucesso”, disse Homma.

O secretário municipal de Trabalho, Emprego e Renda, Walcinyr Bragatto, enfatizou que a Plenária Estadual de Economia Solidária foi marcada pela união de todos os municípios, produtiva com a discussão de grandes propostas, de avanço, de desenvolvimento, de crescimento. “Nós temos hoje em São Carlos vários empreendimentos em andamento, a Feira regular aos domingos na Praça XV de Novembro, um grupo de pessoas muito engajado na Economia Solidária através do Fórum, do Conselho Municipal, uma organização muito forte juntamente com a equipe do DAES. As propostas tiradas nessa Plenária serão encaminhadas para todo o país, no Fórum, Conselho Nacional e também para o Fórum Mundial Social que será realizado no Brasil no próximo ano e terá a nossa participação. É a união de todos os espaços públicos, a iniciativa dos empreendimentos sociais, a participação das universidades, todos os seguimentos deram uma grande contribuição para o futuro pela cidade de São Carlos”, finalizou Bragatto.

A abertura oficial da Plenária Estadual de Economia Solidária de São Carlos aconteceu na noite de sexta-feira (17), no auditório do Paço Municipal com a participação do prefeito Airton Garcia, do vereador Francisco Carvalho (Chico Louco) representando a Câmara Municipal de São Carlos, do prefeito de Araraquara, Edinho Silva (vice-presidente de Economia Solidária da Frente Nacional de Prefeitos), do secretário de Trabalho, Emprego e Renda de São Carlos, Walcinyr Bragatto, do economista Ladislau Dowbor, de Robson Grizilli, representante do Fórum Brasileiro de Economia Solidária, da professora Maria Lúcia Machado, coordenadora do NuMi-Ecosol, de Digenir Chaves Fugazza, presidente do Conselho Municipal de Economia Solidária, Djenane Martins, presidente da Unisol São Paulo, representando a Unisol Brasil e Unisol Mulher, Yolanda Rodriguez, representante do Fórum Paulista, Cândida Maria Santos, representante do Fórum Municipal de Economia Solidária e o professor de Ciências Sociais da UFSCar, Joelson Gonçalves de Carvalho. O evento contou ainda, com a participação dos secretários municipais Deonir Toffolo, Agricultura e Abastecimento, Glaziela Solfa Marques, Cidadania e Assistência Social, Mariel Olmo, Serviços Públicos, Reginaldo Peronti, Obras Públicas, José Paulo Gomes, da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, além de diretores, chefes de gabinete e representantes de vereadores e outras entidades.

Na sexta-feira (17), foram ministradas, ainda, palestras com os temas “A Economia Solidária na Conjuntura Atual” pelo economista Ladislaw Dowbor, professor no departamento de pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, nas áreas de economia e administração, consultor de agências das Nações Unidas, entre outras instituições e “Histórico e linha do tempo da Economia Solidária” por Ademar Bertucci, economista, mestre em Políticas Sociais pela Universidade de Brasília (UnB), dirigente do Centro de Estudos e Assessoria, executor de projetos da Economia Solidária no centro-oeste e do Fórum Brasileiro de Economia Solidária.

Na noite de sábado (18), foram realizadas atividades culturais no Ginásio José Eduardo Gregoracci (Chico Preto), no bairro Santa Felícia. O ciclo de debates terminou na tarde do domingo (19), no auditório da Igreja Santo Expedito, com encaminhamentos gerais, como irradiar as conclusões da Plenária para a sociedade e encaminhamento das demandas para 2018/2019.

Share.

About Author

Leave A Reply