COM SALÁRIOS ATRASADOS, MOTORISTAS PARAM ÔNIBUS EM SÃO CARLOS

0

Parte dos profissionais fizeram paralisação na tarde de terça-feira (14).
Salários deveriam ter sido pagos na terça-feira (7), afirma o sindicato.

Do G1 São Carlos e Araraquara

Funcionários da Athenas Paulista, empresa responsável pelo transporte coletivo em São Carlos(SP), iniciaram uma paralisação na tarde desta terça-feira (14). Com os salários atrasados, parte dos motoristas de ônibus cruzaram os braços. O sindicato que representa a categoria vai participar de uma reunião na manhã desta quarta-feira (15).

Contudo, em nota, a prefeitura informou que se reuniu com funcionários e sindicato e que os ônibus voltam a circular nesta quarta, quando uma reunião será feita para decidir sobre o pagamento dos salários com o uso do subsídio da administração municipal.

A paralisação começou com um grupo pequeno e aos poucos foi aumentando. Os funcionários que já estavam parados invadiram a rua pra incentivar outros motoristas. A Polícia Militar foi acionada.

Cobradores dizem que estão sem salários há 1 semana (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)
Cobradores dizem que estão sem salários há
uma semana  (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)

Cobradores na mesma situação
O pagamento deveria ter sido feito na terça-feira (7). Segundo os funcionários, os cobradores são os que mais sofrem com o atraso.

“Grande parte dos motoristas já recebera, mas os cobradores a maioria não recebeu”, disse o cobrador Marcelo Sátiro de Oliveira. “Deveriam ter um pouco de postura com a gente porque temos obrigações, somos pai de família”, completou o também cobrador Thiago Enrique da Silva Gomes.

“O funcionário trabalha 30 dias para pagar suas contas, ou seja, essa verba salarial é uma verba alimentar. Não tem como atrasar, não tem como ele deixar de comer”, afirmou Amador Bandeira, advogado do Sindicato dos Empregados de Transporte Urbano.

Motoristas tentaram fazer com que outros aderissem à paralisação (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)
Motoristas tentaram fazer com que outros aderissem
à paralisação (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)

 

Falta de repasse

Por nota, a empresa informou que os salários estão atrasados porque a prefeitura não repassou o dinheiro referente ao mês de maio, que seria usado para pagar os funcionários. O valor dos repasses é de R$ 986 mil. Esse valor inclui R$ 797 mil de subssídios, mais R$ 189 mil que ajudam a financiar programas de vale-transporte como o Passe Cidadão e o Passe Estudante.

A Athenas informou que 23 carros foram afetados, mas que conseguiu reverter a situação e apenas quatro realmente continuaram parados desde as 17h, porém são linhas de baixa demanda que param de operar após as 19h. São elas: (15)- Bela Vista-UFSCar, (5) – Redenção-Vila São José, (14) – Santa Paula – Redenção; (30) – Jockey – Redenção.

A empresa também informou que efetuou 95% dos pagamentos dos motoristas e 55% dos cobradores. O vale-alimentação do setor administrativo e de cobradores também foi acertado e amanhã irá acertar com os motoristas.

Motoristas e cobradores vão parar neste sábado a partir das 4h30 (Foto: Rodrigo Zanette/G1)
Contrato com a atual empresa está vencido
há ao menos 2 anos (Foto: Rodrigo Zanette/G1)

Licitação
O contrato com atual empresa está vencido há 2 anos. Por uma decisão da justiça de janeiro de 2014 a prefeitura não pode fazer a renovação. Essa situação vinha sendo acompanhada pelo Ministério Público (MP), que cobra uma nova licitação que ainda não saiu.

No mês passado, foi feito um acordo e a prefeitura tem até o 23 de agosto para abrir o edital. Todo o processo tem que ser concluído até o dia 23 de dezembro caso contrário pode ter que pagar multa de R$ 10 mil por dia.

“Do lado da prefeitura, argumentam que o repasse seria irregular. A empresa entende que se a prefeitura repassou até agora por que não continuar? E os trabalhadores ficam no meio. Eu acho que as autoridades têm que chegar a um consenso para resolver o problema dos trabalhadores, pagar os salários que estão em atraso”, disse o advogado do sindicato.

Prefeito diz que subsídio não é para pagar motoristas (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)
Prefeito diz que subsídio não é para pagar
motoristas (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)
Cobradores dizem que estão sem salários há uma semana  (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)

Cobradores dizem que estão sem salários há
uma semana (Foto: Felipe Lazzarotto/EPTV)

Decisão judicial
O prefeito Paulo Altomani (PSDB) informou que há uma decisão judicial garantindo que, enquanto o serviço de transporte continuar, a prefeitura poderia pagar o subsídio.

“O subsídio não é para pagar os salários deles, é uma parcela do faturamento da empresa para pagar o que os aposentados não pagam, para pagar metade dos salários das domésticas que ganham até um salário mínimo do Estado de São Paulo e para pagar metade das passagens dos estudantes, essa é a finalidade do subsídio e não o subsídio e não o subsídio ser responsável pela totalidade dos salários deles”, afirmou.

Em nota, a assessoria de imprensa da prefeitura informou que o prefeito se reuniu durante a noite com motorista, cobradores e representantes do sindicato da categoria para pedir o fim da paralisação que atingiu quatro linhas do transporte coletivo. “Ficou decidido que motoristas e cobradores retornam ao trabalho nesta quarta-feira (15) e que a Prefeitura vai se reunir com a empresa, Ministério Público, Ministério do Trabalho e Sindicato para garantir que o subsídio repassado pelo município seja usado, exclusivamente, para o pagamento do salário dos trabalhadores”, informou o comunicado.

Share.

About Author

Leave A Reply