Audiência Pública discute ações de combate ao mosquito Aedes aegypti

0
????????????????????????????????????

A reunião contou com a presença de vereadores e representantes da Prefeitura Municipal – DIVULGAÇÃO 

Os secretários de Saúde, Carlos Eduardo Colenci e de Serviços Públicos, Mariel Olmo, juntamente com a instrutora da Equipe Municipal de Combate às Endemias, Denise Scatolini e da enfermeira Camila Félix Francisco da Vigilância Epidemiológica (VIGEP), participaram da primeira audiência pública na Câmara Municipal para falar sobre as ações do município com relação ao combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika. O capitão Cesar Alexandre Cardeal, da Polícia Militar e o cabo Marcio Neves, representando o Corpo de Bombeiros, também compuseram a mesa.

Solicitada pela Comissão de Saúde e Promoção Social do Legislativo, a audiência foi aberta pelo presidente da Câmara, Julio Cesar e presidida pelo vereador Lucão Fernandes, presidente da Comissão de Saúde. Também participaram os vereadores Aleksander Vieira Malabim, Azuaite Martins de França, Cidinha do Oncológico, Edson Ferreira, Elton Carvalho, João Muller, Laíde Simões, Leandro Guerreiro, Luis Enrique e Robertinho Mori.

Carlos Eduardo Colenci agradeceu o convite e falou sobre a elaboração do Plano Municipal de Contingência Contra as Arboviroses, que são as doenças chamadas de arbovírus, que incluem o vírus da Dengue, Chikungunya e Febre Amarela e também relatou as ações de vigilância e controle do mosquito Aedes aegypti. “Os agentes fazem atividade casa a casa, de bloqueio com o controle de criadouros do mosquito em casos suspeitos, bloqueio com nebulização em casos confirmados e quinzenalmente faz visitas em pontos estratégicos como borracharias, depósito de pneus, de materiais de reciclagem, oficinas mecânicas, funilarias, cemitérios e floriculturas. Também iniciamos as reuniões do Comitê de Combate à Dengue, o que possibilitará umamelhor articulação entre os órgãos, a qualificação da informação e das estratégias, além de dar maior agilidade e consistência nos comandos e ações de respostas”, destacou o secretário de Saúde.

Colenci ressaltou que todo esse trabalho é realizado por uma equipe pequena. “Hoje temos somente 39 agentes de combate às endemias, 3 supervisores e 1 instrutor”.

Denise Scatolini, instrutora da Equipe Municipal de Combate às Endemias, fez uma apresentação e revelou os números da Dengue desde 2013, ano que foram confirmados 356 casos da doença. Em 2014 o número chegou a 368, em 2015 a cidade enfrentou uma epidemia com 22.331 pessoas infectadas e no ano passado o número voltou a cair, totalizando 563 casos.

A enfermeira da VIGEP também falou dos números da Chikungunya, que em 2016 foram confirmados 4 casos, sendo um autóctone e 3 importados. Já de Zika vírus foram 3 casos confirmados, todos importados.

“Esse ano já tivemos 78 notificações e 3 casos positivados para Dengue. Chikungunya tivemos até agora 7 notificações, 5 foram descartadas e 2 ainda estamos aguardando o resultado da sorologia. Para Zika tivemos somente uma notificação”, revelou Denise Scatolini.

O secretário de Serviços Públicos disse que sua pasta já está trabalhando para em conjunto com a Secretaria de Saúde para realizar o mutirão de limpeza em toda a cidade. “Precisamos realizar a retirada de inservíveis, porém primeiro estamos consultando a Cetesb para a liberação de uma área para que esse material recolhido possa ser depositado”, explicou Mariel Olmo.

Lucão Fernandes declarou que um dos objetivos da audiência foi ter conhecimento da programação da Secretaria Municipal de Saúde para a prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti e acompanhar os trabalhos. “Nós sabemos da capacidade dos servidores que trabalham na Prefeitura e a Câmara Municipal quer andar junto no combate à dengue, ajudando no que for possível”, afirmou.

Febre Amarela – Durante a audiência Denise Scatolini também revelou que já foram notificados 3 casos de Febre Amarela na cidade, sendo que duas pessoas são de outros municípios, um homem de 50 anos de Dourado (SP) e outro de 37 anos de São Roque (MG). O terceiro caso suspeito é de um homem de 75 anos de São Carlos.

Segundo informações da Santa Casa, somente um paciente continua internado, porém já com previsão de alta. As sorologias foram colhidas em 16, 19 e 24 de janeiro e encaminhadas para o Instituto Adolpho Lutz de São Paulo, que tem prazo de 30 dias, a partir da data de recebimento de cada sorologia, para enviar o resultado.

Ano passado foram aplicadas nas unidades básicas e de saúde da família de São Carlos 4.240 doses contra a febre amarela. Até o momento a Vigilância Epidemiológica recebeu 3.000 mil doses e a procura está normal, se necessário o município solicitará novas doses ao Departamento Regional de Saúde de Araraquara.

A Secretaria Municipal de Saúde está organizando para os próximos dias uma vacinação especial contra a febre amarela na zona rural do município.

Como cada unidade faz a vacinação em dia e horários específicos, a Secretaria de Saúde solicita que o usuário consulte a unidade mais próxima da sua residência para qual dia da semana poderá ser atendido.

Share.

About Author

Leave A Reply