Agora é oficial: São Carlos – SP, a cidade natal do dirigível

0

 

 

São Carlos acaba de escrever uma nova página na história da aviação brasileira: foi lançado na cidade nesta segunda-feira (24), pela Airship do Brasil o ADB 3-X01, primeiro dirigível tripulado produzido na América Latina.

Durante a solenidade que aconteceu no “Hangar para Dirigíveis e Aeróstatos 31 de Março” os Correios do Brasil também lançou o Carimbo Postal Comemorativo e Selo Personalizado alusivos ao 1º Dirigível construído na América Latina.

Para colocar o projeto e protótipo em prática foram investidos R$ 150 milhões na concepção e fabricação do modelo, parte dos recursos foi financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social – BNDES, além do apoio de várias instituições e empresas como a Transportes Bertolini uma das sócias da companhia. Atualmente, 53 pessoas trabalham na área de projetos da Airship em São Carlos.

O dirigível tem capacidade de carga de 1,2 tonelada e espaço para cinco passageiros. Com 49 metros de comprimento e 17 metros de altura, ele pode atingir até 85 km/h e tem autonomia de cinco horas. A aeronave poderá ser empregada por forças armadas e no mercado civil. O processo de certificação do modelo deve ser finalizado no próximo ano, período em que a empresa deve iniciar também a sua comercialização. “Hoje, dirigíveis são comercializados por 40 milhões de dólares. Nós esperamos entregar um produto melhor do que o que já é fabricado por um preço estimado de 20 milhões de dólares”, disse Paulo Vicente Caleffi, presidente da Airship.

O ADB 3-X01 poderá ser utilizado em diversas funções como transporte de pequenas cargas, voos panorâmicos e propaganda, treinamento de pilotos de dirigíveis, monitoramentos, inspeção de linhas de transmissão de energia elétrica, controle de fronteiras, busca e salvamento. Pode também ser equipado com equipamentos com câmeras de vídeo, radares e holofotes.

A Airship também trabalha no desenvolvimento do ADB-3-30, um dirigível cargueiro com capacidade para carga até 30 toneladas, parte de um projeto da empresa para trazer contêineres vindos principalmente da Amazônia para as regiões Sul e Sudeste, em vez de utilizar estradas.

Uma data histórica, marcante que vai mudar a visão das pessoas sobre os dirigíveis e a forma de transportar dos correios, nesse novo mundo que se mostra viável e possível”, destacou Guilherme Campos Júnior, presidente dos Correios do Brasil.

Paulo Vicente Caleffi, presidente da Airship do Brasil, ao lado do diretor da empresa Marcelo Augusto de Fellipes lembrou que o Brasil é o 5º país do mundo a desenvolver uma tecnologia (dirigíveis tripulados) que será a do futuro. Ressaltou ainda, que em aproximadamente 1 ano a fábrica da Airship estará homologada e se tudo correr bem o Brasil estará apresentando um dirigível de carga para o mundo.

“Nós vamos construir plataforma de carga aérea nesse país que não tem infraestrutura rodoviária, pouca infraestrutura aérea e menor ferroviária. O dirigível é uma solução”, enfatizou Caleffi.

Irani Bertolini, presidente do Grupo Bertolini, recordou que são 24 anos de muito trabalho, dedicação e persistência. “Estamos fabricando com mão de obra brasileira e muitos fornecedores brasileiros. O importante é construir um produto brasileiro, estamos no Brasil e apesar da enorme burocracia, precisamos acreditar neste país”, desabafou Bertolini.

O prefeito de São Carlos Airton Garcia, que esteve acompanhado do vice-prefeito e secretário municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Giuliano Cardinali, dos secretários municipais José Galizia Tundisi (Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia) Deonir Toffolo (Agricultura e Abastecimento), e do diretor de Coordenação Político Institucional, tenente-coronel Samir Gardini, cumprimentou a Airship por escolher São Carlos para o desenvolvimento de projetos e protótipos. “O prefeito tem que trabalhar e lutar muito, mas o prefeito também precisa ter sorte, esse evento é um exemplo. “São Carlos fez esse casamento com a Airship, essa empresa tão importante, que junto com a cidade vai ter filhos maravilhosos”, disse o prefeito.

O vice-prefeito e secretário municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Giuliano Cardinali, conta que a cidade estava na eminência de perder o Hangar da Airship.

Segundo Cardinali a pedido do prefeito Airton Garcia foi realizada reunião com a Secretaria Municipal de Serviços Públicos para viabilizar a documentação necessária da empresa porque havia prazo para instalação e recebimento de financiamento. “Fizemos toda essa tramitação, conseguimos viabilizar a licença ambiental na Cetesb, aceleramos a parte burocrática da Prefeitura porque a empresa, além de ser muito importante, uma das 5 que faz esse tipo de aeronave no mundo, vai gerar emprego e renda”, disse Giuliano Cardinali.

A Airship do Brasil ainda não decidiu onde será instalada a fábrica da companhia que deve empregar cerca de 500 pessoas. “Nós ainda não decidimos onde será a fabrica. São Carlos ficará com os projetos e protótipos, mas a fábrica ainda é uma decisão dos empresários” comentou o presidente Paulo Caleffi.

Share.

About Author

Leave A Reply